Notícia: CRF-PR publica carta aberta dos farmacêuticos ao Sindifarma-PR

Publicado em 25/10/2019

CRF-PR publica carta aberta dos farmacêuticos ao Sindifarma-PR


CRF-PR publica carta aberta dos farmacêuticos ao Sindifarma-PR

A pedido de um grupo de farmacêuticos, o CRF-PR publica carta aberta ao Sindicato do Comércio Varejista de Produtos Farmacêuticos no Estado do Paraná. Confira:

Esta é uma iniciativa independente de um grupo de farmacêuticos atuantes no Estado do Paraná sem vínculos com qualquer instituição. Mais uma vez estamos em negociação com o Sindicato Patronal, como ocorre todos os anos e hoje, mais do que nunca, percebemos uma clara ameaça ao exercício profissional do farmacêutico no nosso Estado através de tentativas de anulação dos poucos direitos conquistados em convenções coletivas anteriormente. Pretendemos ao assinar esta carta aberta demonstrar nossa preocupação com o futuro da profissão farmacêutica no varejo no Estado do Paraná no que diz respeito às condições de trabalho e salariais.

O funcionamento do nosso sindicato encontra-se ameaçado devido às mudanças na legislação trabalhista mais recentes, mas isso não significa que não estejamos nos mobilizando para lutarmos pelos nossos direitos.

É notório que ao longo das últimas décadas o piso do profissional farmacêutico teve o seu poder de compra gradativamente diminuído. Como profissionais da área de saúde, investimos tempo e dinheiro na nossa formação, sacrifício nosso e de nossos familiares, e por isso o mínimo que exigimos são condições de trabalho e salário digno, compatíveis com a responsabilidade que temos sobre a saúde das pessoas que estão em nosso raio de atuação, para que assim possamos prestar um atendimento adequado, estar constantemente atualizando nossos conhecimentos, contribuindo com a nossa comunidade e desta forma gerando valor aos estabelecimentos que nos contratam.

A respeito do piso salarial entendemos que o mesmo encontra-se atualmente defasado. O Estado do Paraná, que é o 5º Estado mais rico do Brasil, possui o 18º maior piso salarial. Em março de 2019, o Estado do Paraná tinha um piso salarial para profissional farmacêutico abaixo da média brasileira, que correspondia a 91% da média de pisos salariais entre os Estados do Brasil. Enquanto a média do piso salarial no Brasil era de 3.482,79, no Paraná atualmente é 3.198,00 (dados disponíveis nos sites dos respectivos sindicatos estaduais). Em contrapartida, segundo o Guia Interfarma, o crescimento do varejo farmacêutico no Brasil entre 2013 e 2017 foi de 58,3%. A projeção de crescimento para 2018 era de 6,6% segundo fontes da ASCOFERJ em outubro de 2018. Com base nestes números chegamos a um crescimento total de 68,6% entre 2013 e 2018. Neste mesmo período o piso farmacêutico no Estado do Paraná acumulou alta de 46,3% ou seja, muito abaixo do crescimento do setor.

A respeito de gratificações, nossos acordos no Estado do Paraná não contemplam gratificações de nenhuma espécie. Diversos Estados do Brasil firmaram acordos com gratificações e benefícios além do piso salarial, tais como auxilio creche, valor mínimo de vale refeição diário, gratificação por responsabilidade técnica, gratificação por tempo de serviço, gratificação por gerência, gratificação por pós-graduação, etc (dados disponíveis nos sites dos respectivos sindicados estaduais).

Deixamos claro através desta Carta Aberta que não abriremos mão da manutenção das conquistas firmadas nas Convenções Coletivas anteriores, especialmente no que diz respeito ao direito a 2 (dois) domingos de folga mensais, além das 4 (quatro) nos demais dias da semana, condições de trabalho dignas e salário compatível com o praticado nos demais Estados do Brasil.

Acima de tudo, exigimos respeito a nós profissionais farmacêuticos durante as negociações com o Sindicato do Comércio Varejista de Produtos Farmacêuticos do Estado do Paraná, pois somente chegaremos a um consenso se todos agirmos com ética e bom senso.

O Projeto União Farmacêutica pede a sua assinatura através de petição eletrônica para demonstram apoio a carta. Clique aqui e acesse.


Fonte: Projeto União Farmacêutica