Notícia: Vence a População, Vence a Classe Farmacêutica

Publicado em 30/05/2012

Vence a População, Vence a Classe Farmacêutica


Aprovada Lei Estadual que estabelece a Logística Reversa de Resíduos Farmacêuticos Domiciliares no Paraná
Vence a População, Vence a Classe Farmacêutica

Com apoio do CRF-PR, entidades/organizações do setor farmacêutico e universidades, o projeto de lei nº 930/11, de autoria do deputado Luiz Eduardo Cheida (PMDB), que dispõe sobre a responsabilidade da destinação dos medicamentos em desuso e seus procedimentos, passou pelo Plenário da Assembléia Legislativa na segunda-feira (28 de maio), em primeiro turno, por unanimidade (40 votos favoráveis, nenhum contrário). A proposta estabelece a Logística Reversa de Medicamentos, tornando fabricantes, distribuidores, varejistas e consumidores responsáveis pelo recolhimento e destino ambiental adequado.

A lei prevê que a população entregue seus resíduos farmacêuticos nos estabelecimentos farmacêuticos entre outros possíveis pontos de coleta, com local adequado para armazenagem (contêiner). Do ponto de coleta, a cadeia de medicamentos responde pelo transporte, tratamento e destinação final ambientalmente adequada. O projeto foi apoiado pelo Grupo Estadual que está sendo formado pelo CRF-PR, Instituições de Ensino Superior (Uniandrade, UP), entidades farmacêuticas (Sindifar, Anfarmag), autarquias municipais e estaduais (SESA, SEMA, Secretarias de Saúde e Meio Ambiente de Curitiba), IAP, Ministério Público, Consórcio Paraná Saúde, entidades do setor produtivo (SINDIFARMA), empresas distribuidoras, indústria, entre outros. De acordo com um dos membros do GT, representante do CRF-PR e Uniandrade, Prof. Javier Salvador Gamarra Junior, foi dado um grande passo para que o setor farmacêutico contribua de modo decisivo com a diminuição do lançamento de resíduos de medicamentos no meio ambiente, especialmente nas águas, reduzindo possíveis impactos ambientais.

 

Fonte: Agência Sinal de Notícias