Notícia: Toledo: cidade modelo das Plantas Medicinais e Fitoterápicos

Publicado em 19/12/2019

Toledo: cidade modelo das Plantas Medicinais e Fitoterápicos


Toledo: cidade modelo das Plantas Medicinais e Fitoterápicos

GTT de Práticas Integrativas e Complementares em Saúde do CRF-PR conheceu a estrutura do município

O campo das Práticas Integrativas e Complementares em Saúde (PICS) contempla os sistemas médicos complexos e os recursos terapêuticos, também conhecidos como medicina tradicional e complementar/ alternativa pela Organização Mundial da Saúde. Tais sistemas e recursos envolvem abordagens que buscam estimular os mecanismos naturais de prevenção de agravos e recuperação da saúde por meio de tecnologias eficazes e seguras, com ênfase na escuta acolhedora, no desenvolvimento do vínculo terapêutico e na integração do ser humano com o meio ambiente e a sociedade. Com a publicação da Política Nacional de Práticas Integrativas e Complementares (PNPIC), a homeopatia, as plantas medicinais e fitoterápicas, a medicina tradicional chinesa/acupuntura, a medicina antroposófica e o termalismo social-crenoterapia foram institucionalizados no Sistema Único de Saúde (SUS).

A PNPIC trouxe aos municípios justificativas políticas e técnicas econômicas, sociais e culturais para investimento nas PICS, apoiando, incorporando e implementando experiências que já vêm sendo desenvolvidas na rede pública. A região oeste do Paraná é exemplo nacional da aplicabilidade da Práticas Integrativas e Complementares em Saúde com segurança, eficácia e qualidade na perspectiva da integralidade da atenção à saúde. Por conta disso, o Grupo Técnico de Trabalho de PICS do CRF-PR realizou, no dia 15 de agosto, uma visita técnica ao município de Toledo para conhecer um pouco mais sobre a assistência farmacêutica, o trabalho dos prescritores de fitoterápicos e homeopáticos e a plantação de plantas medicinais.

Assistência Farmacêutica

A visita técnica começou com uma reunião na Prefeitura Municipal de Toledo. Recebidos pela Dra. Adriane Monteiro e Dra. Mariana Muller – Diretora e Coordenadora de Projetos do Departamento de Assistência Farmacêutica (DAF) do município, os membros do GTT/CRF-PR também estavam acompanhados da Dra. Margarete Kishi – Conselheira Federal por São Paulo e Dra. Kátia Torres e Dra. Sônia Linhares – representantes do Ministério da Saúde (MS). O bate-papo começou com uma explanação sobre a atual estrutura organizacional do município, destacando a alta gama de atendimento mensal pelo SUS, mais de 40 mil.

O Programa de Plantas Medicinais e Fitoterápicos de Toledo surgiu em 2012 quando foram contemplados em edital do Ministério da Saúde. Com o recurso financeiro, o município começou a estruturar sua equipe de profissionais da saúde para a administração desses tipos de medicamentos. Dra. Adriane cita como um momento crucial para a consolidação do programa a aplicação de cursos preparatórios, como o “Cuidados Farmacêuticos no SUS”, organizado pelo Conselho Federal de Farmácia: “as capacitações ofereceram aos profissionais um impulso em participar do projeto. Com o conhecimento teórico e práticos, farmacêuticos, médicos, nutricionistas, odontólogos e enfermeiros se sentiram seguros, firmes e prontos para executar o trabalho com plantas medicinais e fitoterápicos”. Com os prescritores preparados, a demanda passa, desde então, por uma expressiva ascensão.

Porém, segundo as representantes do DAF de Toledo, ainda é preciso estabelecer questões para assegurar a continuidade do programa por futuras gestões. Uma proposta é firmar uma lei municipal que garanta, dentro da Lei Orçamentária do município, uma reserva para as plantas medicinais e fitoterápicos. “Não podemos depender sempre do recurso do Ministério da Saúde. Se um dia essa ajuda acabar, precisamos estar prontos para continuar as atividades”, destacou Dra. Adriane. Dra. Kátia, como representante do MS, evidenciou o importante papel que Toledo exerce em todo o país: “esse município é um dos poucos que soube utilizar o recurso de forma eficaz e, a partir disso, solidificou mais uma maneira de atender à população”.

DRA. DENISE LIELL - SECRETÁRIA DA SAÚDE DE TOLEDO - "Foi com imensa alegria que o município de Toledo recebeu a visita técnica do GTT/PICS CRF-PR. Ter a presença do Conselho em um projeto que vem se desenvolvendo ao longo dos anos e que saiu de um saber popular para se tornar um trabalho técnico-científico, onde buscamos o conhecimento, o estudo de caso e o resultado para de fato tornar este trabalho uma ação permanente do município, é extremamente gratificante. Temos muito o que fazer, principalmente dar continuidade nas ações para que jamais sejam interrompidas e se tornem uma política permanente da assistência farmacêutica integrada com a atenção básica. Por isso, a reconhecimento do CRF-PR é muito satisfatório, pois sabemos o que isso representa para a expansão desse trabalho das Práticas Integrativas e Complementares. Nosso muito obrigada e que possamos continuar inovando em parceria”.

Farmácia Pública com Manipulação

A próxima parada foi a Farmácia Pública com Manipulação, exclusivamente para medicamentos fitoterápicos. O grupo foi recebido pela farmacêutica Natali Gabriela Vrobleviski, que explicou como funciona o estabelecimento de saúde. Além do grupo de farmacêuticos, a Farmácia conta com os acadêmicos da Universidade Paranaense (Unipar) e oferece medicamentos fitoterápicos compostos de Guaco, Espinheira Santa, Unha de Gato, Transagem, Salgueiro, Menta, Babosa, Alcachofra e outros.

Além disso, a Farmácia conta com um consultório farmacêutico, onde os profissionais prestam atendimento, auxiliando no uso racional e organização dos horários corretos para prescrição dos fármacos. Os farmacêuticos também são prescritores e de acordo com o histórico do paciente, presente no sistema do município e podem indicar tratamentos fitoterápicos, o uso de chás e até mesmo medicamentos alopáticos isentos de prescrição.

Plantação de guaco

O Arranjo Produtivo Local (APL) é um conjunto de fatores econômicos, políticos e sociais, localizados em um mesmo território, desenvolvendoatividades econômicas correlatas e que apresentam  vínculos de produção, interação, cooperação e aprendizagem. Em Toledo, no Programa de Plantas Medicinais e Fitoterápicos, os agricultores, produtores do insumo e Farmácias estão na mesma região. Essa prática fortalece a atividade local, ampliando a participação do cidadão nas etapas de execução.

Os agricultores do Guaco, portanto, estão em torno da região oeste do Paraná. O GTT/CRF-PR visitou duas propriedades para entender como funciona o plantio de uma planta medicinal. O xarope de guaco é muito famoso em sua atuação contra tosse, asma e bronquite. Embora seja conhecido por alguns através das ‘receitas caseiras’, o Guaco é comprovado cientificamente por seu efeito broncodilatador e expectorante. É uma planta que se desenvolve bem em locais com clima ameno, como o de Toledo.

A cultivadora Rosineide Lawisch contou um pouco de sua história até chegar a plantação do Guaco. Nasceu em meio agrícola e só saiu para estudar Nutrição. Ao terminar a faculdade, retornou à agricultura. Foram vários projetos e plantios, mas nenhum estava proporcionando o retorno esperando. Através do Dr. Euclides Cunha – membro do GTT de Práticas Integrativas e Complementares em Saúde – conheceu mais a fundo as plantas medicinais. Começou com uma muda de guaco e hoje, felizmente, pode afirmar que garante o seu sustento dele. Por conta da sua atividade junto à Associação dos Agricultores Orgânicos e plantas medicinais, ganhou, em comodato, um secador de plantas que estava sem uso na Prefeitura e hoje pode ajudar outros agricultores da região.

Produção de Insumos Farmacêuticos

Para finalizar a visita técnica, o grupo foi até a SUSTENTEC, presidida pelo Dr. Euclides Cardozo. Fundada em 2003, a instituição agrupa produtores, técnicos e farmacêuticos ligados ao desenvolvimento sustentável e que apresentam preocupação com a apresentação de soluções técnicas aos processos produtivos atuais que respeitem a sociedade e o meio ambiente. A SUSTENTEC desenvolve projetos na área de cultivo orgânico e agroecológico de plantas medicinais. Em 2010, com apoio da Itaipu e Prefeitura Municipal de Pato Bragado, inaugurou a Unidade de Produção de Extratos. Hoje, com certificações sanitárias e ambientais, produz extratos vegetais, como insumos farmacêuticos, destinados às Farmácias com Manipulação e Indústrias.

O GTT, junto com as representantes do Ministério da Saúde, percorreu toda a indústria, conhecendo passo a passo sobre a produção dos extratos vegetais, fluídos e oleosos, desde a chegada da planta até o fracionamento e entrega ao destinatário. Além de garantir o acesso seguro da população às plantas medicinais, Dr. Euclides visualizado o futuro da SUSTENTEC em busca da “consolidação de uma rede de negócios sustentáveis de plantas medicinais que gerem benefícios a vários segmentos da sociedade”.

Para o Coordenador do GTT/CRF-PR de Práticas Integrativas e Complementares em Saúde do CRF-PR, Dr. Javier Salvador Gamarra Junior, a experiência de visitar Toledo foi muito rica e produtiva. “Esse é um município de ponta dentro da assistência farmacêutica do SUS no Paraná. É uma referência em fitoterapia e poder ver de perto toda a cadeia organizacional e esforços dedicados a aplicabilidade das PICS foi muito significativo e será aplicado nas próximas atividades do Grupo Técnico de Trabalho”, expôs Dr. Javier.

“Envolver todos os fatores envoltos no sistema, como médicos, enfermeiros e farmacêuticos, mostra-se muito eficaz e assertivo. Congratulações aos munícipios da 12ª Regional de Saúde e esperamos que exemplos como esses sirvam de inspiração, para farmacêuticos gestores de outras regiões, de como iniciar e estruturar as Práticas Integrativas e Complementares no Sistema Único de Saúde”, finalizou Dr. Javier.

Além do Dr. Javier Gamarra e Dr. Euclides Cardozo, o Grupo Técnico de Trabalho de Práticas Integrativas e Complementares em Saúde do CRF-PR é composto pela Dra. Carla Matsue, Dra. Cristiane Reichert, Dra. Noemia Garcia, Dr. Paulo Stoef e Dr. Vinícis Bednarczuk.

   

Leia mais na 130ª edição da "O Farmacêutico em Revista". Acesse!​​ 

 


Fonte: Assessoria de Comunicação / CRF-PR